domingo, 30 de março de 2014

Por que ler clássicos?


Eu gosto desses romances de bancas, e gosto também desses livros que têm vendido feito água que as editoras estão no empanturrando mensalmente entre séries e trilogias... Mas também tenho na minha estante alguns livros clássicos, e acho que todos deveriam se aventurar neles também. Eu já comentei antes sobre como a literatura de entretenimento tem aberto as portas para o mundo da leitura para muitos jovens, e através dela é que damos os primeiros passos para os clássicos... Pois bem, para dá-los mais um empurrãozinho no mundo dos clássicos, Ítalo Calvino, um dos escritores mais importantes da Literatura italiana, do século XX, trás em seu livro "Por que ler os clássicos" (CALVINO, Ítalo. Por que ler os clássicos. 2 ed. São Paulo: Companhia das Letras, 2004. Trad. Nilson Moulin.), reflexões sobre a importância da literatura clássica de forma simples e objetiva, e ainda nos dá mais alguns motivos para lê-los. Colori os motivos que mais me chamaram atenção e, entre parênteses, deixo os meus comentários a respeito — comentários simples, num ponto de vista de quem já leu mais de uma dúzia de clássicos (e pretendo ler mais).

1. Os clássicos são aqueles livros dos quais, em geral, se ouve dizer: "Estou relendo..." e nunca "Estou lendo...".

2. Dizem-se clássicos aqueles livros que constituem uma riqueza para quem os tenha lido e amado; mas constituem uma riqueza não menor para quem se reserva a sorte de lê-los pela primeira vez nas melhores condições para apreciá-los.

3. Os clássicos são livros que exercem uma influência particular quando se impõem como inesquecíveis e também quando se ocultam nas dobras da memória, mimetizando-se como inconsciente coletivo e individual.

4. Toda releitura de um clássico é uma leitura de descoberta como a primeira. 
(os clássicos são tão bons que, toda vez que relemos, percebemos novos detalhes que nos passaram despercebidos durante a primeira leitura, e são tão importantes que nos dá a sensação de uma nova descoberta!)

5. Toda primeira leitura de um clássico é na realidade uma releitura.
(os clássicos nunca tratam de assuntos triviais. Eles abordam coisas do cotidiano, que fazem parte de nossa vida, do nosso dia-a-dia, coisas atuais e talvez seja isso o que o autor quis dizer; que os clássicos são retratos de nós mesmos)

6. Um clássico é um livro que nunca terminou de dizer aquilo que tinha para dizer.
(a boa literatura não entrega de mão beijada o ouro. Ela serve para nos fazer refletir e construir a história por nós mesmos, e por isso ela é tão intrigante e fascinante, pois nos dá brechas para preencher as lacunas como cada um de nós bem entender.)

7. Os clássicos são aqueles livros que chegam até nós trazendo consigo as marcas das leituras que precederam a nossa e atrás de si os traços que deixaram na cultura ou nas culturas que atravessaram (ou mais simplesmente na linguagem ou nos costumes).

8. Um clássico é uma obra que provoca incessantemente uma nuvem de discursos críticos sobre si, mas continuamente as repele para longe.

9. Os clássicos são livros que, quanto mais pensamos conhecer por ouvir dizer, quando são lidos de fato mais se revelam novos, inesperados, inéditos.
(este item serve de complemento do que foi dito no ítem 6, pois, assim como todos acabam por fazer suas próprias interpretações, não há como narrar com precisão a sua experiência com um clássico, já que cada leitor terá a sua própria experiência)

10.Chama-se de clássico um livro que se configura como equivalente do universo, à semelhança dos antigos talismãs.

11. O "seu" clássico é aquele que não pode ser-lhe indiferente e que serve para definir a você próprio em relação e talvez em contraste com ele.

12. Um clássico é um livro que vem antes de outros clássicos; mas quem leu antes os outros e depois lê aquele, reconhece logo o seu lugar na genealogia.
(os clássicos são como um monte de caixinhas de surpresa. Quando se pensa que conseguiu o melhor, ao abrir o seguinte, nos deparamos com outro mundo extraordinário e não sabemos mais qual é o melhor!)

13. É clássico aquilo que tende a relegar as atualidades à posição de barulho de fundo, mas ao mesmo tempo não pode prescindir desse barulho de fundo.

14. É clássico aquilo que persiste como rumor mesmo onde predomina a atualidade mais incompatível.

Mas, lembrem-se, a imersão no mundo dos clássicos não pode ser forçada. Uma dica que também posso dar a vocês é de sempre, antes de lerem algum clássico, olhem na internet algum review sobre o livro que vocês quiserem ler, para que as coisas possam fazer mais sentido. :) Às vezes, é imprescindível conhecer o autor, antes de ler a sua obra, também.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...