quinta-feira, 9 de maio de 2013

Anime: Magi



Ano: 2009
Gêneros: Ação, Aventura, Fantasia, Comedia
Episódios: 25

Sinopse: Aladim, após ficar preso no mesmo lugar durante toda a sua vida, sai em uma jornada ao lado de Ugo, um gênio que habita dentro da flauta que ele carrega consigo. Então, Aladim conhece Ali Babá, um garoto que sonha com riqueza e poder, e para conseguir realizar este sozinho, precisa explorar as dungeons espalhadas pelo mundo, misteriosas estruturas históricas que começaram a aparecer há 14 anos. Aladim e Ali Babá partem, então, dando início à sua aventura! Qual será o desfecho dessa história que tem como fundo as mil e uma noites árabes?

Aqui temos aventura, amizade, fofura e questões políticas com uma pitada de comédia. Ah, e muita referência literária! Esse foi um dos poucos animes que me surpreendeu, por que no inicio ele aparenta algo completamente diferente do que realmente é. Magi mistura vários elementos, e entrelaça historias já conhecidas por nós (ou pelo menos que já ouvimos falar), em um monte de aventuras pelo que parece ser a Arábia e outras regiões do oriente médio. Ele é único, sem dúvida.

Primeiro, o que me chamou atenção nele, foi o fato de termos um Aladdin (aquele personagem da Disney, mesmo) com seu gênio da lâmpada. Até mesmo o tapete mágico aparece! :) Depois a arte, que é simples, mas muito bem elaborada. Algumas pessoas, no entanto, poderão achar que se trata de uma história infantil, por causa dos traços do autor, e mais a parte cômica, mas garanto a vocês que NÃO É! Magi tem um nível de complexidade bastante satisfatório, e trás muitos eventos históricos. Temos aventuras envolvendo caças à tesouros, guerras, estratégias, magia e um enredo de primeira! T__T

Mas antes de falar mais alguma coisa sobre a história, acho que é legal compreendermos (ou relembrar) mais um pouco sobre os personagens "famosos" que aparecem aqui, pois, Magi utiliza personagens e elementos das folclóricas histórias arábicas da coletânea conhecida no Brasil como “As mil e uma noites”. Claro, tudo com um grande liberdade para atualizar esses elementos ao gosto do público japonês, e que nós gostamos também! xD

Pois bem

Jafar, grão-vizir do Sultão de Agrabah, é o vilão da história do Aladdin. Acho que dispensa grandes apresentações... Mas só para refrescar a memória, é aquele que tenta recuperar a lâmpada mágica, contendo um gênio, que está localizada na Caverna das Maravilhas (no anime, chamado de Dungeon — que seria caverna, em inglês). Após uma tentativa fracassada de entrar na caverna, Jafar e seu papagaio Iago, descobrem que somente uma pessoa generosa poderia entrar lá.

É importante lembrar também que, na caverna destruída, Aladdin esfrega a lâmpada que liberta um gênio, que pode lhe conceder três desejos quaisquer — exceto matar alguém, fazer alguém se apaixonar ou trazer mortos de volta à vida. Aladdin engana o Gênio, fazendo com que todos saiam da caverna sem usar nenhum dos desejos. O Gênio ainda admite que gostaria de ser livre, já que ele é um prisioneiro em sua lâmpada, e Aladdin promete libertá-lo com seu último desejo.

Temos também o Ali Babá (em árabe: علي بابا) que, segundo o wikipedia, é uma personagem fictícia baseada na Arábia pré-islâmica. O conto está descrito nas aventuras de Ali Babá e os Quarenta Ladrões, que faz parte do Livro das Mil e Uma Noites ou (Noites na Arábia). Ali Babá, um pobre lenhador árabe, esbarra com o tesouro de um grupo de quarenta ladrões, na floresta onde ele está cortando árvores. O tesouro dos ladrões está numa caverna, que é aberta por magia. A gruta abre-se usando-se a expressão "Abre, ó Simsim" (geralmente escrito como "Abre-te Sésamo", em português), e fecha-se com as palavras "Fecha, ó Simsim" ("Fecha-te Sésamo"). Quando os ladrões saem, Ali Babá entra na caverna, e leva parte do tesouro para casa.

E tem o Simbad ou Simbá, o Marujo que conta um ciclo de histórias de origem no antigo Oriente Médio. Simbad, o herói destas histórias, é um marinheiro fictício originário de Bagdá, que viveu durante o califado abássida. Suas sete viagens pelos mares (no anime, ele é conhecido por ter conquistado 7 Dungeons) a leste da África e a sul da Ásia o fazem passar por inúmeras aventuras fantásticas que incluem encontros com povos estranhos, seres monstruosos e fenômenos sobrenaturais.

Bom, esses foram os principais personagens que temos na história. Agora vamos para a história:

Magi se passa num local semelhante às Arábias que ouvimos nos contos de Mil e Uma Noites, mas não é exatamente o mesmo mundo. Nesse, temos diversas Dungeons que surgiram em locais aleatórios do planeta, e sabe-se que dentro dela existem muitos tesouros, mas também muitos perigos. Poucos conseguiram sobreviver à aventura de adentrar essas dungeons.

No início, temos Aladdin (em posse de uma flauta mágica capaz de invocar Ugo, um gênio com gigantesca força física, além de executar algumas mágicas) em um local misterioso encontrando o seu gênio lhe enchendo de perguntas. Aladdin é uma criança ingênua e pura, e que ainda desconhece seus poderes — pois ele é um mago. Na história, diz que aparece apenas um mago a cada era.

Aladdin, então, pede ao gênio para que lhe dê respostas, mas o gênio não tem permissão para responder o que ele pergunta, e oferece a possibilidade de fazer um pedido (um desejo) qualquer, incluindo a vida eterna, riquezas ou qualquer coisa que ele queira. E o que ele pediu??? XD Qualquer semelhança não é mera coincidência. Continuando... Como o menino sabe muito pouco sobre o mundo, sobre a verdade por trás das dungeons, e sobre quem são os Magi, ele sai em uma pequena jornada pelo mundo, onde conhece vários povos diferentes, aprende muitas coisas, forma amizades, e acaba encontrando outras pessoas que também venceram dungeons…

Temos também, no início, uma breve introdução do personagem Alibaba — dono de uma personalidade forte e com objetivos bem clichês no mundo de animes, mas nada que lhe tire os méritos. Ele quer ser um conquistador de Dangeons, e capturar todo o tesouro que conseguir, e obter o máximo de gênios. Os gênios, aqui, diferente da Disney, estão presos a objetos diferentes. Como Aladdin tem o seu numa flauta, aparecerão outros em outros objetos.

Enfim, Alibaba e Aladdin se encontram por acaso, e logo se tornam amigos pela simpatia a peitos (isso mesmo! u.u). Seria uma das partes cômicas. Eu não cheguei a gargalhar de rir, mas foi engraçadinho, mais pelo modo como o autor troca de estilo nessas cenas (os olhos dos personagens mudam, e ele parecem diminuir de tamanho - tipo chibi).

Depois, descobrirmos que o mundo em que se passa o anime é extremamente injusto, desigual. Temos escravidão no meio, e tráfico de pessoa. Essa mudança no enredo leva a uma discussão política bastante forte ao longo da trama, abordando questões militares e sociais, como pobreza, nobreza, soldados que só defendem os ricos, países que negociam entre si porém se odeia, escravidão… enfim, todo e universo de assuntos interessantes e sérios, que tratado com um pouco de comicidade, e torna tudo mais leve, e menos chato, digamos assim. Afinal, política é um assunto chato. Mas garanto a vocês que aqui tudo é agradável. :3

E ainda conhecemos uma escrava misteriosa de cabelos rosa, que fará parte do time de personagens principais. A Morgiana (tentei buscar mais informações sobre sua personagem, mas não consegui) que parece mais uma amazona, dona de grande força. Ele vem de uma ilha que só há pessoas extremamente fortes. Ela também trás lá sua dose de comédia com seu jeito meio sem jeito. E é interessante prestar atenção a sua personagem, por que a evolução dela é incrível.
Com o passar dos episódios, vamos criando cada vez mais empatia pelas personagens, e o enredo vai ficando cada vez mais denso. A cidade de Alibaba (não me vem o nome agora) perde seu querido rei, e um dos seus filhos (o pior deles) toma o trono, e um grupo de rebeldes armam plano para acabar com esse rei, que trás mais miséria ao povo. Muitas questões políticas estão envolvidas.

Ah, e temos o maravilhoso Simbad, um cabeludo gostoso rei de uma ilha próspera, com seu povo que o adora, e eu também. Ele é um sonho! Cômico, mas do tipo "fodão" que sabe ficar sério quando a situação exige. Ele age como ponte de comunicação entre o novato Alibabá e o povo de sua cidade, em busca de uma solução pacífica para os problemas econômicos que enfrentam. Confesso que cheguei a duvidar de sua integridade e intenções, mas ele se revelou ser puro amor mesmo! S2

E Aladdin finalmente descobre quem é — um poderoso mago, que conta com a ajuda dos espíritos — e que precisa escolher o seu rei. Esse rei, obviamente, é Alibaba, o menino inseguro de si, mas no fundo muito corajoso. E o que antes parecia ser apenas uma caça ao tesouros mágicos (cada dangeon contém um objeto mágico que guarda um gênio) se transforma em um grande enredo de guerras e estratégias pela Arabia.

As cenas de batalha são simples, mas ao mesmo tempo com boa tomadas de ângulos. A trilha sonora também é ótima (já peguei todo o OST :D).

Finalizando, Magi é um anime que deixou boa impressão no primeiro episódio, e cada vez mais me via presa a ele. Eu via três ou quatro episódios por dia, e ficava louca para ver os outros. Recomendo que deem uma chance. Vi alguns blogs citando que ele foi um dos melhores nessa temporada de animes novos, e parece que teremos uma segunda temporada dele. :) De fato, ele possui personagens carismáticos, de personalidades marcantes e distintas. Foi muito bem estruturado e escrito. E esse equilíbrio entre aventura, fantasia, ação e comédia e tudo sem exagero, torna ele um dos melhores do gênero.






Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...