sábado, 9 de março de 2013

Filme: Wonderful Days



Título Japonês: Sky Blue ワンダフル・デイズ
Produtores: Gainax, Tin House
Gênero: Ação, Drama, Romance, Sci-Fi
Duração: 1 hr. 23 min.


Sinopse: Ano de 2142 D.C. O mundo está inabitado. A humanidade teve sua população reduzida de forma alarmante.Vastas terras do nosso planeta perderam por completo a sua fauna e a sua flora. O motivo desse imenso estrago fora o abuso durante anos e anos de poluentes. Agora, num planeta envolto por uma imensa penumbra de nuvens negras, os seres humanos restantes procuram por uma chance de permanecerem vivos na única cidade que sobreviveu ao caos: ECOBAN. Ironicamente, é esta cidade que mantém a Terra com índices de poluição altamente elevados, pois é da poluição que ela se sustenta. Trata-se de um ambiente egocêntrico, comandado por um imperialista intolerante, de baixo caráter, que não mede esforços para separar os "puros" dos "impuros" (estes últimos, conhecidos como "Marrians"). Os "impuros", habitantes de MARR, uma região periférica do centro econômico e industrial de ECOBAN, almejam um dia alcançar a liberdade do domínio anti-humano do governo e da elite dessa cidade e, assim, acabar com a poluição no planeta. Shua, um jovem rapaz ambicioso, é a maior esperança dos "Marrians" para a conquista dessa liberdade e para a realização de um grande sonho: um tempo em que todos possam viver dias maravilhosos.
A produção é Coreana, uma obra-prima que combina muito bem a animação tradicional em 2D com 3D, foto-realismos, CG e live-action! É uma superprodução.
Mas se é apenas com base em previsões, chutes, achismos ou apenas fantasia... o fato é que o filme traz questões cada vez mais plausíveis para o nosso futuro. Não é de hoje, nem de 2003, quando o filme foi lançado, que se ouve falar na super poluição do nosso planeta.

E é nesse clima sombrio e melancólico, que vemos os personagens lutar pela liberdade em que foram condicionados a viver. A Ecoban é uma cidade altamente tecnológica, futurística, para Steven Spielberg nenhum botar defeito — com elevadores a propulsão, prédios arrojados, sistema de segurança máxima (ou quase isso, como vemos no filme), e com todo um sistema inovador de comunicação.

O problema de toda essa tecnologia é o gasto de energia — isso não é explícito no filme, mas é o que imagino que tenha causado o problema. Para quem não sabe, as represas geradoras de energia são um dos nossos maiores poluentes. Por isso tanto se fala em energia eólica. No entanto, a previsão que é que, mesmo tendo essa descoberta mais viável, mais limpa, mais ecológica, o homem ainda não irá fazer o bom uso dela, mesmo no futuro, resultando, portanto, nesse mundo cinzento, poluído — de acordo com o filme, isto é.

Entretanto, a trama não gira somente em torno dessas questões. Enquanto um grupo de Marrian rebeldes se unem para derrubar a Ecoban, vemos um jovem que já viu o céu azul, e sonha em trazê-lo de volta. Com a ajuda de um cientista foragido, ele consegue se infiltrar no prédio principal do governo, e roubar informações. No meio do caminho, entretanto, ele é descoberto, e uma antiga amiga o reconhece. E aí vem a parte mais light da história. O filme volta no tempo, e mostra duas crianças que sonhavam com um futuro melhor. Para deixar aquelas questões politicamente-corretas e não transformá-la num documentário, eles envolveram um romance, além de que mostrar questões mais humanitárias no enredo. Vemos personagens tristes, que sofrem com o que acontece a seu redor, pessoas infelizes, inconformadas Vemos pessoas morrerem no meio da guerra, e pessoas chorando por sua morte.

O filme também fala sobre a negação de autoridades politicas sobre essas questões ecológicas que sofrem — as semelhanças não são mera coincidências. E ele ainda mostra que pessoas que possuem poder em suas mãos, podem e irão abusar de tal para conseguir o que querem; eles abandonam a moralidade e ética para se agarrarem com todas as forças esse poder.

Eu diria que os fãs de sci-fi em animes não ficarão desapontados. Vale a pena uma olhada ou duas (eu vi duas vezes!). Seria interessante vê-la numa série para termos mais desenvolvimento entre os personagens, porque somente no final do filme percebemos que a relação entre Jay (a mocinha) e Cade (o chefe da segurança da Ecoban, e rival de Shua) é maior do que uma mera amizade ou coleguismo. Mas há vários momentos tocantes e marcantes do filme que ainda estão presos na minha cabeça — principalmente uma cena em que o Shua está sentado numa janela do petroleiro em que ele morava, olhando para o horizonte. A música que começa a tocar é maravilhosa, e quase tive vontade de chorar pelo tom triste de toda aquela cena. Que, na verdade, não tinha nada demais, mas foi uma coisa tão intensa, que sentíamos a tristeza dele.

Não quero contar toda a historia, apenas dizer que a trama tem seus altos e baixos, no que diz respeito à animação e o plot — que como disse antes, não explicita o causador da poluição. A trilha sonora, em boa parte do filme serve para atenuar o clima triste em que o filme se passa, com pessoas depressivas e submissas ao governo. Mas ele ganhou várias indicações, mas não sei se ganhou alguma...De qualquer forma, a experiência valeu a pena.

Enfim, eu super recomendo o filme!














Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...