sexta-feira, 22 de março de 2013

Anime: Btooom!



Título em Japonês: BTOOOM!
Categoria: Série TV
Episódios: XX.
Produtores: Madhouse.
Gênero: Ação, Violência, Ficção Ciêntifica, Seinen.
Duração: 25 min. por episódio.


Sinopse: Sakamoto Ryouta é um desempregado de 22 anos que vive com sua mãe. No mundo real, pode não haver nada de especial sobre ele, mas online, ele é um dos melhores jogadores do mundo de Btooom! — um jogo de combate. Um dia, ele acorda no que parece ser uma ilha tropical, embora não tenha nenhuma memória de como ou por que foi para estar lá. Enquanto se anda pelo local, Ryouta vê alguém e pede por ajuda, o estranho responde jogando uma bomba para ele! Agora Ryouta percebe que sua vida está em perigo e que ele de alguma forma foi preso em uma versão real do seu jogo favorito!

Btooom! (ブトゥーム! Butūmu!) é uma série de mangá japonesa escrita por Jun'ya Inoue. O primeiro capítulo foi publicado em 19 de junho de 2009 na revista Weekly Comic Bunch pela Shinchosha. Atualmente o mangá é publicado na revista Monthly Comic Bunch e possui 9 volumes compilados. Uma adaptação em anime feita pela Madhouse foi exibida entre 4 de outubro de 2012 e 21 de dezembro de 2012.
O site por onde assisto ainda não tem todos os episódios publicados, portanto, não consegui encontrar informações de quantos são... Enfim, esse é um daqueles animes que já no terceiro episódio já prendeu minha atenção.

BTOOM! é cheio de ação e violência. Nos primeiros episódios ficamos com a pulga atrás da orelha, nos perguntando sobre o que está acontecendo, até que, em seguida, já temos uma boa explicação sobre o jogo e os personagens principais. O que é uma característica boa, porque não fica naquela enrolação que expliquei que acontece com Amnesia.

Como a própria sinopse diz, Sakamoto é um jovem desempregado na vida real, que acaba caindo naquela ilha desconhecida. E com ele, uma bolsa cheia de explosivos e um chip implantado na mão. Ele descobre que o jogador que conseguir oito chips daqueles, sairá da ilha, e voltará para sua vida normal. O problema é: como conseguir o chip, se ninguém está disposto a dá-lo? A resposta que muitos dos jogares encontraram foi matar. E para isso serviam os explosivos que cada um carrega consigo.

Uns cinco episódios depois, ainda descobrimos o passado dos personagens, e percebemos que eles foram escolhidos a dedo. Cada um com um problema particular, para acrescentar emoção ao jogo, é claro. Há um esquema psicológico por trás disso tudo, que aos poucos vai se evidenciando.

Bom, os traços da animação são ótimos, os cenários são de tirar o fôlego com as belas paisagens verde... Mas uma das coisas que me levou a ele é o fato do personagem principal, o Sakamoto, lembrar muito do Light (Death Note). Cheguei a especular que o desenhista fosse o mesmo, mas não é. Mas o fato é que em algumas cenas, a atmosfera que envolve todo o enredo lembra muito o anime. A tensão, o sangue, os planos para conseguir sobreviver... E por falar nisso, BTOOM! também bebe um pouco daquele seriado americano Lost, numa mistura com aquele reality show Survivor — todos numa ilha, com tarefas a cumprir para eliminar o próximo e no fim sobreviver.

A principio ele pode parecer um anime cheio de clichês, sem muito a acrescentar, mas com o passar da história, percebemos algumas nuances interessantes, apesar de óbvias. Claro, para uma proposta como essa, é necessário fazer os personagens passarem por todos os tipo de dificuldades, não apenas física, como psicológicas.

Lá pelas tantas, eles descobrem que foram escolhidos para fazer parte daquele jogo por seus inimigos — ou por quem eles não tinham um bom relacionamento na "vida real". E então, começam as desconfianças, o medo de ficar sozinho numa ilha desconhecida, com lagartos gigantes carnívoros e um monte de gente querendo sair daquela ilha à todo custo.

Os produtores, para tornar as situações mais reais, incluiriam cenas como um homem defecando no meio do mato, e pisando nas próprias fezes. Além disso, desesperados com toda a situação, uma menina é quase estuprada. Isso mostra, de certa forma, a verdadeira natureza humana dentro de situações de risco. Num reality show, os indivíduos sabem que estão sendo vigiados e se "comportam", mas ali no jogo de BTOOM! não. Eles se sentem completamente abandonados, sozinhos, estão desesperados, sem saber o que vai acontecer no minuto seguinte.

Para finalizar o post, comento sobre a música de abertura, que é simplesmente ótima. A música se chama "No pain, no game", que de acordo com o Wikipedia é cantada por Nano (não sei quem é). Já a musica de encerramento é calma e suave saindo um pouco da característica do anime, se chama "Aozora", por May'n. :)

Para quem curte o gênero ação e violência, acho que BTOOM! é bem recomendado. :)











Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...