quarta-feira, 7 de março de 2012

Filme: As Virgens Suicidas


Sinopse: Durante a década de 70, o filme enfoca os Lisbon, uma família saudável e próspera que vive num bairro de classe média de Michigan. O sr. Lisbon (James Woods) um professor de matemática e sua esposa uma rigorosa religiosa, mãe de cinco atraentes adolescentes, que atraem a atenção dos rapazes da região. Porém, quando Cecília (Hanna R. Hall), de apenas 13 anos, comete suicídio, as relações familiares se decompõem rumo a um crescente isolamento e superproteção das demais filhas, que não podem mais ter qualquer tipo de interação social com rapazes. Mas a proibição apenas atiça ainda mais as garotas a arranjarem meios de burlar as rígidas regras de sua mãe.

Fonte: Adoro Cinema



Lançamento: 1999
Duração: 1h 37min
Diretor: Sofia Coppola
Elenco: Kirsten Dunst, James Woods, Kathleen Turner
Gênero: Drama
Nacionalidade: EUA

Pela sinopse, agente acha que o filme é uma chatice só, e que já vimos 2.165.496.786.123.163 filmes parecidos. Mas ele é MUITO mais do que apenas um filme sobre uma família religiosa, com problemas. Além das belíssimas fotografias que o filme trás, a estoria aborda um tema que ainda se mantém atual, apesar de se passar nos anos 70. A fascinação pela beleza feminina e juventude. São cinco belas irmãs que vivem com um pai submisso, professor de matemática da escola em que elas estudam, e uma mãe muito religiosa. A família, então, se abala com a morte da filha mais nova, e para piorar a situação deles, são obrigados a ouvir as coisas mais absurdas dos vizinhos que começam a criar teorias da conspiração contra a família. A fim de proteger as outras meninas, a mãe resolve mantê-las presas dentro de casa.

A película ainda consegue manter um ar de mistério durante todo o filme, em relação às meninas. "O há com elas?", pensamos o tempo todo. Por que elas instigam todo esse deslumbre? Elas são lindas, sim, mas ainda há algo mais nelas. Elas são misteriosas, sedutoras (estão no auge dos hormônios), e ainda andam sempre juntas, como se constituíssem um clube próprio fechado.

Sem perceberem, quatro meninos, vizinhos delas, as espionam e tentam desvendar o mistério das irmãs. Senti no ar um pensamento: porque é tão terrível ser bela? É um fardo carregar todas as expectativas da ala masculina nas costas, para quando as conhecessem realmente, não os decepcionar?

O que eu vejo hoje em dia, é exatamente isso o que acontece. Você encontra uma menina (também vale para os meninos) muito bonita, mas basta alguns minutos de conversa com ela, e percebemos que ela não é tão bonita assim. O contrário também é válido, é claro. Mas talvez essa expectativa possa pesar demais para algumas pessoas. Não sei. O que quero dizer é que esse culto a beleza, além de obsessivo da parte de uns, é inconsciente da parte de outros. Inconscientemente, julgamos as pessoas pela beleza.

Mas o filme não fala sobre a preocupação com a beleza. Ele vai além. O filme deixa o espectador envolvido pelo óbvio desejo carnal que a beleza instiga, o vazio que ele deixa no indivíduo que não consegue ir além (que não consegue enxergar além), e a melancolia das irmãs Lesbon no mundo fechado delas. Agente fica imaginando se elas são realmente loucas, ou se apenas são sonhadoras, desejosas da liberdade. Por que além da família, elas parecem prisioneiras desse mistério em que foram colocadas involuntariamente. Eu diria que é um filme que mexe com nossas emoções. Não do tipo que nos faz chorar, mas aquele que nos faz pensar. Não quero contar o final, mas acho que posso dizer que não poderia ter sido melhor. Elas eternizaram a beleza e juventude, mas deixando no ar o real motivo delas: se pelo sufoco da família, ou da "responsabilidade" que tinham perante os olhos dos vizinhos.
E retomando o que disse anteriormente, o filme traz cenas muito bonitas e reflexivas, cheias de poesia. Não tenho certeza, mas acho que esse foi um dos primeiros filmes da Kirsten Dunst (se não o primeiro). Ela está divina nele. Além dela, temos o maravilhoso Josh Hartnett, que aparece com um cabelinho horrível! uiahauihai. A trilha sonora é muito bacana também, trazendo grandes clássicos. Para quem gosta de filmes cult, vale muito a pena ver esse. :)



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...