quarta-feira, 7 de março de 2012

Cachos



Eu estava procurando umas fotos e achei essa ai, de cima, sem querer. Adorei as cores e a luz dessa imagem, e resolvi trazer para cá, por que o texto que acompanha é muito bacana também. 

Como uma imagem que ganhasse súbito foco, olho-o de frente uma primeira vez. Estranho em primeiro lugar o cabelo. Pensei que já ninguém usava o cabelo assim. Bom, talvez alguns surfistas. Ainda algumas crianças. São caracóis louros que, sem se perderem em cascata, parecem suficientes para o fazer passar por anjo no Carnaval. Um deles cai mesmo no meio da testa.

Outro cliente o chama e levanta-se como uma mola. É alto e magro. Art era mais ou menos assim, sem os caracóis caricatos, tinha cabelo liso. Art era talvez um pouco mais alto. Mas as semelhanças são evidentes para o meu estado de espírito sonolento e melancólico.
Volta sem eu dar por ele e de novo se senta. A pele não me permite declarar se ronda os vinte e poucos ou muitos. Podiam ser vinte e poucos ou mesmo dezoito, dezanove, mas a barba já foi feita muitas vezes. Se calhar teve barba muito cedo, só isso. E nunca se gostou de ver com ela. Simpatizo com isso. Os olhos são castanhos.

in Regresso a Barcelona (Na fotografia, o actor Niels Schneider).

Fonte: http://lsoares.blogs.sapo.pt/tag/literatura

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...