terça-feira, 21 de fevereiro de 2012

Escrevendo Comédias


Ganha um pirulito imaginário quem descobrir a quem pertence esse sorriso lindo, maravilhoso e perfeito! XD Ok, aqui vai uma dica: Começa com Ben, e termina com Barnes! :D 


Bom, muita gente andou me perguntando por que eu tinha parado de escrever a Incógnita e, repetindo pela 4.524.532.564.567.895.445.678 vez, eu digo: o gênero comédia é o mais difícil de se escrever, por incrível que pareça. Por que além de o escritor necessitar de uma boa dose de Besteirol, 45gm no armário, é preciso levar em conta que o público tem senso de humor diferentes. O que eu acho engraçado, Fulano pode não achar, e assim por diante. Eu mesma já vi gente comentando que rebolou de tanto rir em partes que eu não achava a menor graça! E tem mais! Uma piadinha já feita antes, não exerce o mesmo efeito duas vezes. 


Mas voltando à razão pela qual decidi criar esse post, como alguns já sabem, voltei a escrevê-la depois de muito ler drama. Eu pensava em me dar um tempo para esfriar a cabeça, por que andava pensando muito sobre a estória e não estava mais conseguindo pensar direito na continuação, e muitas vezes uma pausa é necessária. Esses dias, vi lá no Nyah que já faz mais de um ano que estou escrevendo aquela fic. UM ANO!!!! T_T Eu já disse a muitos de vocês o quanto amo aquela estória; me permite viajar na maionese como nenhuma outra estoria minha fez, e por isso ela se tornou tão longa. Mas como eu ia dizendo, ler drama, no fim das contas, não me ajudou em nada. Porque por influência, acabei me tornando mais séria, digamos assim. :S E para quem escreve comédia, isso é péssimo. Então aqui vai mais uma dica: se você quer se tornar um escritor de comédias, se foque em ler somente comédias. Se você quer se tornar escritor de drama, leia somente dramas... e assim sucessivamente. Só para vocês terem uma noção do meu problema, reli alguns capítulos da primeira temporada e fiquei horrorizada. Antes, eu me divertia à beça escrevendo o texto, e achava graça em quase tudo o que eu escrevia. Mas relendo, me revoltei com a quantidade de idiotices que perderam a graça. E achei minha escrita um cocô! Como eu escrevia mal!!!! MUITO mal. 


Tudo culpa dos dramas que venho lendo!


Mas lembrem-se, comédias realmente necessitam de uma linguagem mais rápida, sem muitas firulas, metáforas bonitas. O leitor não deve pensar muito a respeito do que se está sendo apresentado. Ele precisa entender rápido o que está sendo dito, se não, perde a graça.


Bom, tendo em vista meu mais novo problema... comecei a catar filmes, livros, fics, vídeos e blogs de comédia. Inclusive, se alguém tiver algo a me indicar, ficarei super grata!


Acho que está dando resultado. 


Então, resolvi catar algumas dicas de como escrever comédias, também. Pois confesso que tudo o que sei vem somente da experiência. Nunca tinha parado para pesquisar nada sobre isso.


Chega de enrolação. Vamos ao que interessa.



Catei alguns sites com informações valiosíssimas, e resolvi trazer algumas delas para cá.


Bom, primeiro é preciso saber que existem TIPOS de comédia. Sim. 


Sátira: ou paródia, é onde se faz censura ou ridiculariza defeitos ou vícios de uma época ou de uma pessoa.

Vaudeville
: é uma comédia entremeada de árias. Fundamente-se quase que exclusivamente na intriga e no efeito provocado pelos equívocos, despertando a graça.
Farsa: este tipo de comédia pretende provocar o riso sem intenção didática ou moralizante; e sim, a partir de exageros tirados da observação da vida quotidiana. A farsa depende mais da ação do que do diálogo; mais dos aspectos externos (cenários, roupas, gestos, etc.) do que do conflito dramático.

Comédia de Costumes: visa a criticar os hábitos e os costumes de uma sociedade em determinada época.

Comédia Ballete: inventada por Molière, consiste numa comédia de costumes ou de personagem entremeada de cenas de dança cômica.

Comédia Lacrimejante: quando emprega lágrimas para sensibilizar o público.

Comédia de Capa e Espada
: de origem espanhola, recebeu tal denominação pelo fato de os cavaleiros da época (século XVI), usarem capa e a espada. Gira sempre ao redor de intrigas amorosas.

Comédia de Humor Negro
: é um subgênero da comédia e da sátira, onde temas graves como a morte, estupro, assassinato, aniquilação humana ou violência doméstica são tratados de forma satírica.

Comédia Pastelão
: é uma comédia de cinema, pois apresenta perseguições, colisões e brincadeiras onde as personagens só fazem coisas tolas e embaraçosas, como tropeçar, cair, só para provocar o riso nas pessoas. O famoso comediante Charlie Chaplin, compôs uma série de comédias pastelão. 

Fonte: recanto das letras.

Apesar de dizer que é comédia de cinema, acho que poderia classificar a Incógnita como comédia de Pastelão com um pouco de Sátira, 
Vaudeville e Farsa...

Bom, na comédia, pode-se explorar "n" possibilidades. Pois vejam, além da comédia romântica, há que a misture com drama, com terror, com ação, com aventura, com fantasia... Mas além de saber disso, há alguns "macetes" que podemos utilizar para escrever nossa comédia. pesquei de vários sites algumas dicas, e vou enumerá-las para facilitar.

1. Escolher um tipo de comédia. — sinceramente, confesso que não escolhi. Simplesmente fui escrevendo. Mas talvez essa dica sirva para alguém.

2. Surpresa: você pode fazer o leitor se focar em algum acontecimento para, então, pluft! Aparecer algo totalmente inesperado pelo leitor, capaz de arrancar algum riso.

3. Sarcasmo: diálogos cheios de irônias, ou mesmo descrições ridicularizadas podem arrancar um riso. Esse é o tópico que mais utilizo nas minhas fics de comédia.

4. Conflito: sim, escrever situações conflituosas envolvendo sarcasmos, pode arrancar muitas risadas do leitor também. Como brigas envolvendo atrapalhadas e confusões. 

5. Exagero: esse é preciso um pouco de cuidado, por que exagero demais, torna o texto idiota, imbecil. Confesso que não sei como anda a minha dosa, se consigo maneirar bem, ou não (levando em consideração o que a maioria pensa, é claro. Pois como disse, cada um tem seu senso de humor...). Mas exagerar descrições ou situações, é um bom artifício dentro da comédia também. E bastante utilizado, inclusive.

6.Rimas: alguns devem ter percebido que ando colocando bastante rimas. Palavras sem sentido, que rimam, dentro de um contexto propício, podem funcionar também.


7. Tempo: geralmente, isso é mais cuidado quando se faz um filme, ou uma peça, ou qualquer apresentação de comédia. Mas na literatura podemos ver essa questão da seguinte forma: cuidado com as descrições. Enrolar muito pode fazer com que o leitor se canse, ou que a piada anterior se esfrie demais na cabeça, fazendo com que a piada seguinte perca seu efeito. Acho que é algo meio complicado de se conseguir, mas as vezes rola facilmente. Principalmente em diálogos, onde há uma troca rápida de informações. Ou seja, quando mais piadas sucessivas conseguir fazer, melhor. Às vezes nem todas as piadas serão tão boas, mas só por terem sido jogadas uma atrás da outra, já consegue fazer com que o leitor ria também, por que a piada anterior ainda está fresca na memória, e o riso já está lá, esboçado no rosto.



E é isso. Escrever comédia é desafiador, mas qual gênero não é? Se quiser experimentar, vá em frente e aproveite. Só não se esqueça de fazer você mesmo rir. Se você não ri com o que escreve, não espere que os outros o façam... Como sempre digo também: se você não gosta do que escreve, não espere que os outros gostem também. 


Beijos  :*******

6 comentários:

  1. Uai, faz tempo que eu não aparecia por aqui!
    Olha, imagino que não foi a tua intenção, mas que tipo de pirulito imaginário tu propôs? Diga que é o do Ben! Diga que é o do Ben! iuahiahaiuhahahauhai

    Enfim, perversões à parte, gostei desse post. Sabe, eu não sou muito fã de escrever comédia, contudo, eu adoro ler esse gênero! É como tu dissestes, é preciso ter bastante besteirol na cabeça, e eu acho que na minha só tem melodrama barato ¬¬

    Enfim, antes que eu me esqueça, eu fiquei tãaaaao feliz com o retorno de Incógnita, porém, em certo ponto estou triste (mas isso não tem nada a ver com a fic, ok). Espero que o teu surto de criatividade e delírios continuem, assim como a estória o/

    bjsss :****

    ResponderExcluir
  2. claro que o pirulito do Ben já é meu!! iauhauihauiahiua mas com o que que tu ficou triste, afinal de contas?
    também espero que o surto continue T_T
    bjss :**************

    ResponderExcluir
  3. Poxa que gulosa! ihauhaiuahuiah Sortuda!

    Enfim, estou triste porque em breve eu vou sumir do mundo das fanfics, até mesmo das redes sociais, sabe. Estou precisando me focar nos estudos, preciso ganhar uma bolsa. Então, eu fico triste em saber que, justamente quando eu me afasto, Incógnita volta com um ritmo acelerado ¬¬

    De qualquer forma, boa sorte com Incógnita, e tentarei curtir enquanto posso o/
    bjsss :****

    ResponderExcluir
  4. Ahh, realmente é triste ter que abandonar algo que se gosta de fazer para dar prioridade a outras coisas. Mas eu entendo perfeitamente. T_T infelizmente, isso é necessário.
    Bom, te desejo sorte também aí com os estudos, né! ;) mas que apareça, pelo menos, aqui no blog de vez em quando, só pra dar um oizinho. Agente já conversou tanto, que fico triste com isso :( hehe.
    um beijão! :*************

    ResponderExcluir
  5. Descobri meu problema! Eu só leio dramas, assisto dramas e penso em dramas!
    Quase nunca assito comédia, e quando assito nunca acho graça.Mas o engraçado é que eu sou bem palhaça no dia-a-dia, mas geralmente faço piadas xingando a mim mesma ou algo que fiz. Talvez por isso eu não consiga escrever comédia, a não ser que seja de mim. Alias eu não consigo escrever nada mesmo.
    Um filme que assisti faz tempo mas que foi um dos poucos que me arrancou boas risadas foi: Cara caê meu carro? com o Asthon Kuther (será que tá certo?)

    ResponderExcluir
  6. Oi, Sanny. Pois é...comédia é complicado mesmo. Mas pra escrever qualquer coisa é preciso prática. se tu nao tenta, tu nunca vai conseguir mesmo. T_T eu vi esse filme, cade meu carro, ou alguma coisa assim. foi legal mesmo. tenho outros filmes de comédia em mente. Como aquele, corra que a polícia vem aí, mas só o primeiro. os outros são muito forçados. E tem aqueles entrando numa fria, que também me fez rir... hehe
    bjss :*************

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...